0
  
     

Viagem ao Alasca III (Portage Glacier e Girwood)

05/08/2008
O dia amanheceu feio e chuvoso, mas isso não nos desanimou. Saimos cedo do nosso B&B e fomos alugar um carro, pois a idéia era conhecer os arredores de Anchorage.

Andar de carro pelas estradas do Alasca não é complicado, pois como não são muitas, é quase impossível de se perder. Saímos de Anchorage e pegamos a Sweard Highway, estrada muito bonita que vai margeando o Turnagain Arm*, um braço de mar, e a Alaska Railroad (estrada de trem do Alasca). Esta estrada vai de Anchorage a Swerd e tem 127 milhas (aproximadamente 204 km) mas percorremos apenas uma parte dela, até o Portage Glacier.

Seward Highway
No caminho existem vários locais com parada obrigatória para aprecisarmos a paisagem e a fauna e flora local. Paramos no Beluga Point para tentarmos avistar baleias Beluga, mas não tivemos sucesso. Alguns quilômetros à frente, nos deparamos com um engarrafamento. Todos os carros estavam encostando e não estavamos entendendo o motivo, mas logo entendemos: eram as Belugas! Ficamos parados algum tempo até que elas desaparecessem e continuamos viagem.

Em Portage Glacier pegamos um barco para podermos ver o glaciar de perto. É um passeio curto que dura aproximadamente 1 hora e custa U$ 26,00. Mas, vale a pena, pois no barco vai um Guarda-Parque (o glaciar está dentro do Chugach National Forest & Glacier Ranger District) que dá uma excelente explicação sobre a formação de glaciares. Depois do “cruzeiro” passamos rapidamente no centro de visitantes local (Begich-Boggs Visitor Center) e pegamos o caminho de volta.

A parada seguinte foi em Girdwood, uma cidade de 1800 habitantes muito conhecida por seu resort de esqui, o Alyeska Ski Resort. Como a visita ao resort levaria tempo, optamos por almoçar no restaurante Chair 5, muito frequentado por esquiadores durante o inverno. Curiosidade: O nome do restaurante é uma homenagem ao teleférico 5 (Cadeira 5) do resort, destruído em uma avalanche e que nunca foi reconstruído.

Próximo de Girdwood, paramos em outra atração imperdível: o Alaska Wildlife Conservation Center, um centro de recuperação de animais selvagens, onde podemos ver os animais em seu habitat natural! Pudemos ver de perto ursos, alces e até mesmo uma águia americana!

Já estava na hora de voltar para Anchorage, pois estava ficando tarde e tinhamos uma resrva no restaurante Marx Bros Cafe. Pegamos a estrada de volta e o que mais nos impressionou foi a amplitude da maré no Turnagain Arm. Segundo consta, é uma das maiores do mundo em função da geografia do local.

*O Turnagain Arm é um braço de mar que sai da enseada Cook (Cook Inlet). O famoso explorador Jame Cook buscava por uma passagem do Oceano Pacífico para o Atlântico e, em uma de suas tentativas de descobrir esta nova rota, entrou pela enseada. Mandou um grupo por um dos braços, o Knik Arm, mas os marinheiros tiveram que voltar pois acabava na desembocadura de um rio. Um segundo grupo foi enviado para o Turnagain Arm e, de novo, tiveram que voltar pois não havia passagem. Por causa da frustação, e por terem que voltar de novo, deram o nome Turn Again (voltar de novo). Que falta de imaginação, hein?!

Amanhã tem mais!

Pedro Lacaz Amaral

Arquivado em: Deuter, Montanhismo, Rafting, Trekking, Viagem Tags: Montanhismo, Rafting, Trekking, Viagem

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2021 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.