2
  
     

O crescimento do Multisport no Brasil

Uma nova realidade está se desenvolvendo e me faz acreditar que temos condições de reverter o quadro de declínio em que se encontram as corridas de aventura no Brasil. O nome desse fenômeno chama-se Multisport, uma modalidade que une corrida, mountain bike e canoagem em múltiplos trechos de um percurso balizado, que valorizam a topografia e aspectos turísticos de uma região.

Hierarquicamente o Multisport consiste na base da pirâmide, cujo topo é a corrida de aventura. Historicamente o Multisport é cerca de 6 a 8 anos mais velho que a corrida de aventura (considerando que os dois primeiros eventos multiesportivos do mundo foram o Ironman do Havaí, criado por John Collins em 1978, e o Alpine Ironman – precursor do Coast to Coast, criado em 1980 por Robin Judkins).

Em outras palavras: a corrida de aventura é fruto da evolução do Multisport, que por sua vez é a evolução das modalidades que o compõe, variações que surgiram para suprir as necessidades físicas e os desafios emocionais dos praticantes, algo que ocorreu em países como a Nova Zelândia, Austrália, Estados Unidos e França, onde a pratica de cada uma das modalidades, individualmente, já era consistente 20 anos atrás.

Em 1998, com a criação do EMA, e empolgados com a repercussão dos mega circuitos criados no final da década de 90, financiado por grandes canais de TV, que alimentavam o inconsciente coletivo da superação de limites, nós, brasileiros, iniciamos a nossa caminhada e o histórico das corridas de aventura no Brasil, fato celebrado até os dias de hoje.

Mas basta conhecer alguns dos protagonistas daqueles anos iniciais para tornarmos cientes de que algumas etapas deste processo evolutivo foram puladas no desenvolvimento da(s) modalidade(s) por aqui. Alguns vieram do triátlon, outros corriam maratonas e outros eram apenas aventureiros de carteirinha, dispostos a encarar qualquer batalha.

Antigamente, se é que já podemos usar esta palavra, a competição era esportiva, a busca pela melhor estratégia, pela performance ideal… Hoje em dia virou uma coisa social. Passou a ser “hobby” correr aventura, uma válvula de escape, e a moral das lendas de criança que diz “o importante é participar” passou a valer mais que os valores do Esporte, onde a competição e a busca pela performance sobressaem.

O crescimento do Multisport, mesmo que retardado, deve ser visto com bons olhos, pois oferece a possibilidade de suprir, a médio e longo prazo, a formação de uma base sólida de atletas e corredores de aventura, sobretudo esportistas conscientes ambientalmente, processos dos quais dependemos para a continuidade do esporte ao ar livre no mundo.

A adesão e continuidade no esporte também são fatores que facilitam o desenvolvimento e consolidação do Multisport, uma vez que não há navegação com mapa e bússola nem a necessidade de correr em equipes obrigatoriamente.

Pensando em Olimpíada, deve-se investir em cada modalidade, individualmente. Mas pensando no futuro das corridas de aventura é preciso investir no Multisport. Foi por isso que motivei-me a encarar o desafio de lançar o circuito Multisport Spirit.

Sobre o circuito Multisport Spirit

Trata-se de um circuito multiesportivo alternativo e inovador, conceitualmente criado com o intuito de unir atletas e comunidades, foco no desenvolvimento do esporte e da preservação ambiental.

Com sede na cidade de Paraty e região da Costa Verde, o circuito será composto por etapas de Multisport, Corrida, Canoagem e Mountain Bike. As provas preparatótias serão curtas, com características diferentes, e unirão duas ou mais modalidades por evento.

Disputadas nas categorias solo, duplas mistas e trios de revezamento, e divididas em faixas etárias e outras categorias como: assessorias e academias, empresas, pousadas e hostels, famílias…, visam estimular a prática do esporte ao ar livre na promoção do lazer e da saúde, bem como na identificação de talentos.

Outro diferencial do circuito será a necessidade dos atletas / equipes assumirem a logística de transporte do caiaques, que poderão ser alugados com fornecedores locais cadastrados no site. Está liberado o uso de caiaques de performance em algumas categorias.

Também como parte da filosofia do evento, que abre as portas para a participação de todos mas visa o rendimento e a performance esportiva, haverá premiação em dinheiro para coroar o esforço de indivíduos e equipes de revezamento nas categorias Elite, Sub 21 e Sub 18, estimulando a participação e envolvimento dos jovens no esporte. Os vencedores das categorias ganharão vagas na final. O vencedor geral por pontos da categoria solo elite (2 etapas) ganhará ainda uma vaga na prova Multisport Brasil, de 95km, realizada em Florianópolis pela SulBrasilis.

 

1ª etapa – Domingo 12/ Set / 2010

Paraty Multisport 35 km

A primeira etapa será bem dinâmica, com 5 trechos e um Special Test.

Os trechos de largada e chegada (T1 e T5, respectivamente) serão de canoagem e terão 4 km de distância cada, subindo e descendo o leito do rio Perequê-Açu até o Parque de Arvorismo Paraty Sport Aventura (Nível de dificuldade dos trechos: Fácil).

Os trechos intermediários (T2 e T4) serão de mountain bike, e possibilitarão o acesso para a realização do trecho de corrida (T3) em trilhas que passam pelo Caminho do Ouro e outros vales no alto da Serra de Cunha (Nível de dificuldade da corrida: Moderado Forte).

No trecho 2, o ciclista subirá pela estrada Paraty-Cunha até o Km 9, próximo a entrada do Caminho do Ouro (Nível de dificuldade: Moderado Forte) e no trecho 4 o ciclista fará um misto de subidas e descidas em estradas e trilhas (single track), até chegar de volta ao Parque Paraty Sport Aventura, local onde estarão os caiaques e onde será realizado o Special Test – um circuito com 7 tirolesas.

Será uma prova muito dinâmica, com trechos rápidos, técnicos e com passagem por belos cenários que conectam os atrativos turísticos da cidade de Paraty.

2ª etapa – Segunda 1/ Nov / 2010

Kayak ‘n’ Run – Travessia Laranjeiras Paraty 30 km

Informações sobre a segunda etapa serão publicadas no site do evento assim que todas as autorizações para a realização da mesma estiverem formalizadas.

FINAL

Multisport Spirit 100 km

O Multisport brasileiro conta atualmente com duas (únicas) provas – uma em Floripa, Multisport Brasil, organizada pelo Anderson Roos, e o Brasília Multisport (BMS), organizada pelo Alexandre Carrijo.

Nosso grande objetivo é completar a tríade de provas multiesportivas pioneiras no Brasil e organizar, em Abril de 2011, o Desafio Multisport Spirit 100 km.

A prova terá divulgação nacional, com objetivo de atrair os melhores atletas, mídia e toda a comunidade para uma grande festa. Tanto os multiesportistas quanto os “esquadrões” formados pelos melhores em cada modalidade, disputarão o título contra os caiçaras, em uma etapa dinâmica, com diversas transições e passagem pelos mais belos cartões postais da região.

Mais informações podem ser acessadas no site do circuito:

www.multisportspirit.com

Por Jorge Elage

Jorge Elage é Esportólogo graduado pela Universidade de São Paulo (USP – 2002) e proprietário da agência Espírito Livre Aventuras. É autor do livro “Projeto Peregrino – Uma volta ao mundo, à brasileira” e organiza roteiros de aventura na região de Paraty, onde mora.

Arquivado em: Outros Esportes

2 Comentários em "O crescimento do Multisport no Brasil"

  1. Jorge Elage disse:

    Valeu a divulgação galera AdventureZone!!!
    Aproveito pra acrescentar que a prova vai ter premiação acumulada de R$2.400 (dividido em categorias – ver regulamento no site) e ainda sorteio de brindes de várias marcas que patrocinam este blog!
    Venham conhecer o Multisport! Sozinhos ou acompanhados, vai ser uma festa! Abraços

  2. Tiago disse:

    Parabéns pela iniciativa, Jorge! Sucesso no evento!

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2022 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.