4
  
     

Nova Zelândia – Rotorua – 2011

Depois das caminhadas em Orokawa e Maunganui seguimos para Rotorua, que em Maori significa “dois lagos”. Apesar de ter este nome, a região abriga mais de quatorze lagos e preserva uma das maiores áreas de mata nativa neo zelandesa. Depois de jantar na cidade, fomos descansar para a longa caminhada do dia seguinte.

Portal que marca o início das trilhas do lago Okataina.
Foto: Layla Barros de Carvalho.

 

Para conhecer melhor a flora da ilha norte, fizemos uma caminhada de 20 km ao redor de um dos maiores lagos da região, o Okataina. Suas margens são cobertas por densas florestas  de Silver Fern, símbolo do país e da seleção nacional de rugby (esporte número 1 da Nova Zelândia). O Silver Fern é uma espécie de samambaia que era utilizada para marcar as trilhas dos guerreiros Maoris em noites de lua cheia. Isso é possível, pois o lado debaixo de suas folhas tem uma cor esbranquiçada que reflete parte da luz.

Um exemplar de Silver Fern, com um de seus “galhos” ainda nascendo.
Foto: Gustavo Britto.

 

O Silver Fern (Cyathea dealbata), pode atingir até 10 metros de altura.
Foto: Layla Barros de Carvalho.

Apesar de longa, a caminhada é bem leve e em sua maior parte plana. Ao longo de todo o percurso a paisagem vai se revesando entre uma floresta densa e pequenas praias. Um fato curioso sobre o lago Okataina é que todo o seu fundo é coberto pelas mesmas árvores e plantas de suas margens. Como suas águas são cristalinas é possível ver detalhes das plantas quando se mergulha no lago.

Início da trilha visto da praia principal do Okataina.
Foto: Gustavo Britto.

Minha companheira de viagens, repousando nas praias do Okaitana.
Foto: Gustavo Britto.

Depois de tanto exercício, Layla e eu fomos repor nossas energias. Porém, o jantar daquela noite fazia parte na nossa agenda cultural. O hangi é uma típica refeição Maori, preparada embaixo da terra com o calor de pedras vulcânicas. Enquanto aguardávamos o preparo de nosso jantar, visitamos as terras dos descendentes da tribo Ngati Rongomai e assistimos a um espetáculo de danças típicas das diferentes tribos da ilha norte.

Preparos de um verdadeiro banquete Maori.
Foto: Gustavo Britto.

Bom, espero que vocês tenha gostado de mais este pedaço de nossa viagem. Para mais informações consulte os links abaixo ou deixe um comentário com sua dúvida. Para não quebramos nossa tradição, curta mais um vídeo sobre este dia em Rotorua:

Quer saber mais sobre a Nova Zelândia?
http://www.adventurezone.com.br/blog/nova-zelandia-auckland-2011/
http://www.adventurezone.com.br/blog/nova-zelandia-orokawa-e-maunganui-2011
Quer saber mais sobre outras viagens?
http://www.adventurezone.com.br/blog/base-climb-eua-2009-twin-falls-moab
http://www.adventurezone.com.br/blog/2010/11/wingbase-europa-2010-italia/

Quer outras dicas de viagens pela Oceania?
http://www.portaloceania.com/index.htm

por Gustavo Britto

Arquivado em: Deuter, Viagem Tags: gustavo britto, nova zelândia, Viagem

4 Comentários em "Nova Zelândia – Rotorua – 2011"

  1. Jana disse:

    Gustavo,

    Também muito bacana este post: as informações, as fotos, o vídeo, a trilha sonora.

    Pelas imagens dá para concluir que o Parque é muito bonito….sem contar que é plano, né? perfeito….rs…

    bjs,
    Jana

  2. Pois é Jana,

    a trilha é plana, o que facilitou bastante. Agora, um fato curioso é esta área não é um parque! Essa é uma das coisas que achei bem legal da NZ, muitas áreas são “culturalmente” preservadas.

    bjos 😀

  3. Jú Hupsel disse:

    Guuu,
    como sempre, adorei o post! O lugar respira cultura né? Lindo! E as fotos e o vídeo ilustraram muito bem isso!
    As informações tb são super interessantes. 🙂
    Beijão: Jú

  4. Obrigado Jú,

    É a NZ respira cultura mesmo e seu povo teu um amor a vida muito grande. Os neozelandeses tem um grande respeito/respeito pela história e pela natureza, uma combinação bem interessante.

    bjos 😀

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2019 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.