1
  
     

Noruega, da era Viking à Monarquia – parte 1

Noruega

A Noruega, conhecida como a Terra dos Vikings é hoje uma monarquia constitucional. Situada no Norte da Europa, possui uma população de 4,8 milhões de pessoas e é um país notavelmente rico. Rico em história, em costumes e principalmente, rico em beleza natural. Financeiramente idem. Estima-se que o governo norueguês tenha 1,5 milhões de euros para cada habitante, a fim de investir em benefícios futuros.

O país possui as quatro estações bem definidas que podem ser notadas através de suas cores: o branco da neve no inverno, o amarelo de suas folhagens no outono. Através de sua temperatura que congela e derrete cachoeiras e picos nevados. Das coloridas vestimentas e ritmo de vida da população.

Morar perto do Polo Norte ou no Círculo Polar Ártico exige grandes adaptações. As longas noites de inverno têm fama de oprimir os mais festivos cidadãos, já as cores do outono… Ah! Belo outono norueguês! Parece que foi criado pelo Divino como uma pintura perfeita onde podemos descansar os olhos, relaxar os músculos dos ombros, respirar fundo e sentir a magnitude da paz nos fiordes.

Sejam bem vindos à Terra Gelada dos Piratas!

Noruega, foto do avião

Noruega

VIKINGS

Os vikings, marinheiros da Escandinávia eram também comerciantes, além de guerreiros. Esse nome foi dado a eles devido ao seu significado: piratas, aventureiros ou mercenários viajantes. Apesar da fama de violentos, os vikings formaram povoados e foram peças fundamentais no desenvolvimento da tecnologia marítima e da construção de cidades. Sua terra natal era a Noruega, Suécia e Dinamarca.

É quase impossível imaginar como os vikings conseguiam atravessar oceanos e saquear países tão distantes em seus rudimentares barcos de madeira. Mas assim fizeram com Portugal, Espanha, Itália, Sicilia e até parte da Palestina. Pode até parecer piada de historiador, mas os vikings chegaram à América antes de Cristovão Colombo. Fracassaram na tentativa de colonização. No século VII, lançaram-se ao mar devido à superpopulação e para saquear cidades européias. Seus rápidos barcos eram chamados de “drakars” (dragão), por terem uma cabeça do mítico animal esculpido na frente. Com seus cascos rasos, invadiam as terras navegando pelos rios. No século VIII saquearam o famoso Monastério Insular de Lindisfarne na costa da Inglaterra, matando os monges que resistiram, lotando seus barcos e voltando pra Escandinávia. Nos 200 anos seguintes, fizeram o mesmo com cidades importantes como Hamburgo, Utrecht e Rouen. Em 865 invadiram a Inglaterra e a dominaram pelos dois séculos seguintes. Em 871, cercaram Paris e ali ficaram por dois anos até receberem uma grande quantia em dinheiro e o direito de saquearem a costa oeste da França. A fama de violentos que atravessava os quatro ventos no mundo, não era em vão. Suas crenças não se baseavam no bem e no mal, mas sim, entre a ordem e o caos. Amavam espadas, mas guerreavam também com facas e lanças, arco e flecha e machados. Seus escudos eram de madeira com brasões de metal na frente e nas bordas.

Noruega

A sociedade dos povos vikings, que eram politeístas e acreditavam em “gigantes”, era dividida em forma piramidal: no topo, o Rei. Abaixo dele, os Jarbs ou homens ricos, mas não nobres (não existia nobreza na cultura viking). No nível inferior, os karbs: o povo. Eram livres, mas sem posses e representavam a massa do exército viking. A classe mais baixa da sociedade era chamada de thralls ou escravos. Geralmente prisioneiros de batalha ou criminosos. Seus “donos” tinham o direito de vida e morte sobre eles.

As famílias vikings moravam em casarões comunitários e todos se ajudavam mutuamente. Brigas, mortes e vingança eram comuns entre famílias rivais. O patriarca tinha muito poder, podendo decidir se um filho viveria ou morreria após o nascimento. As mulheres eram obedientes, mas podiam pedir divórcio se tivessem motivo, já os homens tinham concubinas e podiam matar uma esposa adúltera. Os vikings valorizavam a morte e a festejavam. Enterravam seus mortos com seus pertences, animais de estimação e até escravas vivas! No caso da morte de um homem, sua mulher favorita era enterrada viva junto a ele.

Por fim, a difusão do cristianismo oprimiu as ações de saques dos vikings e no século XI, as incursões cessaram.

noruega

OSLO, a capital

Oslo é a capital da Noruega. Seus mil anos de história a consagra como a capital nórdica mais antiga. Oslo tem hoje uma população não maior do que 580.000 habitantes e é o centro cultural, econômico e político desse rico país.

A cidade que é circundada por ilhas e florestas e posicionada no fim de um dos fiordes mais belos do mundo, oferece tudo de melhor que uma metrópole européia pode ter: museus, galerias de arte, restaurantes, lojas, a grande arena de Ski Holmenkollen e o imperdível Vigeland Sculpture Park. Mas esta parte vocês irão ler no próximo texto sobre a Noruega! Acompanhem as dicas aqui no Adventure Zone!!

Vigeland Sculpture Park

Arquivado em: Viagem Tags: dicas noruega, noruega, oslo, valeria zopello, Viagem

1 Comentário em "Noruega, da era Viking à Monarquia – parte 1"

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Elque Silva, Mario Nery. Mario Nery said: Noruega, da era Viking à Monarquia – parte 1 http://t.co/a4zIPOI – No Adventure Zone!! Primeira parte de uma série com muitas dicas!! […]

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2019 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.