0
  
     

Mais uma via na Pedra do Elefante – Taquaril – Petrópolis

Trata-se da via Todas as Mulheres do Mundo 6 V+ D3 E3.


Salve Galera.

Dia um de setembro terminei com Julio Mello e Ralf Cortes a via Todas as Mulheres do Mundo na Pedra do Elefante – Taquaril – Petrópolis.

Para conquistar essa via foram necessárias 4 investidas.

A primeira aconteceu em 2008, não me lembro certo a data, mas sei que as 5 da manha eu e Rafael Villaça acordávamos com um garoa que logo virou uma baita chuva e acabou com nossa investida. Sem ter muito que fazer o Ralf nos levou até a base do que seria nossa futura empreitada. Rafael ainda aproveitou para naquele dia molhado me levar para conhecer as montanhas de Petrópolis que pouco conheço.

Não da para contar essa ida como investida.

No dia 02/04/08 eu e Rafael estávamos novamente no Abrigo do Elefante e o Ralf nos recebia na empolgação total. Como faz muito tempo não me lembro muito bem de detalhes só lembro que em nossa “verdadeira” primeira investida na montanha conquistamos até P3 e uma parte da quarta enfiada.

A primeira enfiada sai de uns blocos e toca em aderência pura e aplicada, pé chapado e mão com os dedos p/ baixo, e o logo você chega numa chapeleta. Mais duas proteções e você esta na P1.

Primeira proteção e muito granito para cima.

Aderencia pura/ um dos locais que intermediamos.

Na conquista original só tinham duas proteções nessa enfiada, mas como a proposta da via era ser um E3 para ser freqüentada pela galera, acrescentamos mais um grampo em nossa ultima investida e agora são três proteções mais a parada. Lembro de ter conquistado essa enfiada.

Na segunda enfiada a escalada fica mais “agarrencia” agarras abauladas com bastante aderência, lembra muito Salinas. E foi o Rafael quem conquistou essa batendo duas chapas, um grampo e a parada.

Ralf iniciou a terceira enfiada e após tres proteções distantes e a parede começa a ficar em pé. Tenta pela direita e fica estranho, reto também não deu e vai ter que contornar pela esquerda mesmo, dominando uma barriga bateu mais uma proteção e a parada.

Primeira proteçao da terceira.

Ainda com luz e com vontade decidi dar inicio a quarta enfiada e bati mais umas 3 proteções e com a parede ficando vertical decidi deixar a “rabuda” para aproxima investida e rapelamos.


Rafael

Nossa segunda investida foi no dia 05/09/08.

Rafael guiaria as enfiadas já conquistadas, mas não se sentia muito bem, então a partir da P1 o Ralf guiou e eu vim jumariando atrás com as tralhas de conquista.

Quem daria inicio as conquista nesse dia seria o Rafa, mas como não estava muito bem e ele preferiu deixar a conquista na nossa mão.

Eu continue a enfiada que já estava iniciada por mim em um lance vertical chegando a P4.

Ralf conquista a quinta enfiada e eu dei inicio a sexta, mas com o fim da bateria tive que bater o ultimo grampo na mão e sem punho, deixando alguns metros para finalizar a sexta enfiada na próxima investida.


Quarta enfiada com os lances em pé

Nossa volta estaria marcada para breve, mas por motivos adversos só voltamos quase um ano depois e no dia 31/08/09 retomando a conquista porem dessa vez o Julio Mello foi no lugar do Rafa. Sabendo da habilidade do Julio em escalar aderência botei pilha dele repetir a via guiando ate o P5 para já dar o grau da via e observar se a via estava no padrão que tínhamos estabelecido e que deveria ser um E3.

Julio se virando para dar seg. simultânia p/ dois correndo na pedra

Como um foguete Julio guiava as enfiadas e íamos deixando cordas fixas pelo caminho, até que no final da P4 o bicho empaca num lance de 5º bem técnico de agarrencia e muito exposto a queda passava dos 25 metros. Tentou de varias maneira e decidiu voltar para o grampo de baixo, como tínhamos entrado tarde na parede a melhor opção era deixar encordado e voltar no dia seguinte.


Quinto em pé, mas ainda não era o lance medonho.

No dia 01/09/09 jumariavamos pelas cordas que estavam fixas do dia anterior e chegando em P3 voltamos ao problema do dia anterior, o tal lance que fez o Julio empacar. Como eu quem tinha conquistado a enfiada o problema sobrou pra mim.

Jumariando pelas cordas fixas.

Fui com todo gás achando que ia passar mole, mas quando cheguei ao lance e vi o grampo a mais de 10 metros do meu pé eu também empaquei, é um lance de 5º grau em que tem que acreditar no pé alto em um abaulado maldito, mas respirei fundo e fui. De certo que batemos um grampo intermediando esse lance.

Visual da Maria Cumprida.

O Julio retoma a ponta da corda ate o ultimo grampo conquistado e retomo a conquista, bato mais um grampo que seria a sexta parada e mais um dando inicio sétima enfiada. O Julio terminou de conquistar sétima enfiada e acreditávamos que a dali para o cume da agulha seria moleza e o Ralf toma a ponta da corda. Mas…. maldito mas, a parede nos surpreende mais uma vez o que acreditávamos ser um fácil “segundão” virou um quinto sup complicado que fez o Ralf bater a cabeça para conquistar.

Ralf, o homem bala 🙂

Ao bater 5 proteções o Ralf nos chama, Julio sai para bater o ultimo grampo da via num lance fácil que chega no mato. Na rocha já no meio da vegetação batemos a parada dupla final e a via estava terminada. Mais alguns metros andando entre uma vegetação baixa chegamos no cume de uma agulha que fica no canto direito da Pedra do Elefante. Nesse cume já tinha um grampo da via Sarah Brum conquistado pelo Ralf onde paramos para tirar umas fotos.


Ralf onquistando a ultima enfiada.

Julio Indo p/ bater a P8
Cume da Agulha c/ Maria Cumprida ao fundo

Rapelamos intermediando alguns lances que tínhamos considerado perigo e exposto, mas mesmo assim a via manteve seu caráter de aventura e comprometimento. Um legitimo E3.

Parada final e inicio do Rapel.

Essa conquista foi o fruto de um bele trabalho entre clube e escaladores independentes. O Ralf me mostrou a linha e repassei a proposta para o Rafael que curtiu muito a idéia e disponibilizou o material do CERJ para a conquista.

E isso põe fim às birras que alguns escaladores independentes têm com os clubes e que alguns clubes têm com a as pessoas que são independentes e reafirma que a união faz a força.

Mais uma vez agradeço aqui ao Centro Excursionista Rio de janeiro por ceder o material de conquista, ao Ralf por mostrar a linha e aceitar nossa proposta, ao Rafael por fazer esse link entre o clube e os escaladores de fora e acima de tudo por compartilhar da conquista e ao Julio que entrou de ultima hora na conquista em um momento complicado para o Rafael e que fez possível o fim da conquista ainda esse ano.

Valeu galera.
Assim fica mais uma opção de via na Serra.
Todas as Mulheres do Mundo 6 V+ D3 E3.

Posso mandar o croqui por e-mail.

Acessem também:

www.cerj.org.br

Arquivado em: Deuter, Escalada, Montanhismo, Princeton Tec Tags: Escalada, Montanhismo

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 5046 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.