0
  
     

Expedição Mediterrânea – Essaouira


Surf e Música Mundial em Essaouira
Após dias no calor escaldante de um microônibus, viajamos por três horas, só eu e Taty em um busão de verdade, com ar condicionado! Luxo absoluto! Paramos na estrada para uma água e o calor parecia nos cozinhar como em um microondas.

Surf e Música Mundial em Essaouira

Após dias no calor escaldante de um microônibus, viajamos por três horas, só eu e Taty em um busão de verdade, com ar condicionado! Luxo absoluto! Paramos na estrada para uma água e o calor parecia nos cozinhar como em um microondas.

Passeio pelo colorido mercado

Chegamos à cidade litorânea de Essaouira e nosso hotel (Beaurivage) era absolutamente bem localizado.

Essaouira é uma cidade na costa atlântica do Marrocos, antigo porto exportador bastante desejado pelos surfistas do mundo todo, devido à qualidade das ondas. Da palavra árabe “Souirah”, esta cidade que e Patrimônio da Humanidade tem encantos e características especiais, conhecida também como “A Bela Adormecida”.

Colares berberes

Quando chegamos lá, estava terminando a semana do Festival Mundial de Música Gnaoua, e os shows acontecendo numa praça na esquina do hotel. Nem precisávamos sair da varanda para apreciarmos o movimento e ouvirmos os diversos reggaes que invadiram a cidade. Foi muito bacana ver tanta gente jovem, moderna, rastafáris, músicos, em plena África. Confesso: até então, eu me sentia a única tatuada nesse mundo.

Eu na varanda

Festival Mundial de Música Gnaoua

marroquinos que vieram à cidade por causa do festival. Combinamos uma festa musical na casa que eles alugaram. A casa ficava fora da Medina e era bastante interessante. Com uma sala enorme sem móveis, apenas tapetes e alguns instrumentos tribais espalhados, como um tipo de violão de três cordas, as castanholas marroquinas e vários tambores.

Adoramos o som tribal que nos levava quase a um transe com as batidas repetidas, até altas horas da madrugada. Toquei tambor com tanto gosto que fiquei com os dedos inchados e roxos!

Fomos dormir cheias de boas energias marroquinas.

Na manhã seguinte, passeamos um pouco mais por Essaouira com nossos novos amigos hippies-músicos. É engraçado como essa comunidade hippie faz tudo junto, e fomos literalmente adotadas por eles. Íamos comprar nossos tickets de bus, e todos (uns 10) foram conosco, compraram nossas passagens mais baratas já que são marroquinos e o custo é menor pra eles. Compraram água, enfim, cuidaram realmente da gente.

Após uns dias, fizemos a viagem de Essaouira para Rabat e depois para Tangier em uma tocada só. Longa e cansativa.

Zoológico Humano

Embarcamos às 22 horas em um verdadeiro circo!! Nunca imaginei passar por algo como aquilo! O ônibus estava lotadíssimo. Vendem mais tickets do que assentos! O mau cheiro era terrível! Desculpem-me os marroquinos, mas caramba! (Indignação da minha parte…)

O que aconteceu a seguir foi como um filme de humor negro. E você vai rir! Um anão, sem as duas pernas, começou a gritar em árabe comigo que já estava sentada. Claro, não compreendi nada e tentei explicar em todas as línguas possíveis que não o entendia.

Em um momento, algo como seis homens estavam em volta de nós, todos gritando. Por sorte, nossos amigos hippies chegaram e tentaram nos salvar. Pelo que entendi, ele queria sentar no meu lugar. Por que logo no meu?? Nessa confusão toda, alguém pegou meu ticket para ver meu numero de assento e sumiu! Era só o que me faltava! O fiscal ficou mais meia hora gritando comigo, até que decidiram me esquecer… ufa! Tks Godness!

Bebê no meio da confusão

As confusões entre eles continuaram durante toda a longuíssima viagem de nove horas! Fingimos que dormíamos, mas quem conseguia realmente dormir?? Zoológico humano!

O mais incrível é que eles, acostumados com a super lotação, viajam com banquinhos de plásticos que colocam no corredor e vão sentados ali por uma noite inteira! Não acreditei! Sem segurança, sem higiene, sem silencio. Noite em claro!

Chegamos a Rabat mortas, confusas, com fome, com sono… Foi o pior trajeto de todos. Decidimos encarar o trem para Tangier na seqüência e embarcamos por mais cinco horas de viagem.

Despedimo-nos de nossos amigos que nos levaram até dentro do trem e nos encheram de recomendações para nos cuidarmos em Tangier. Só entendemos o motivo chegando lá. Seguimos para mais uma prova de sobrevivência na África!!

Sapatinho diferente, hein?!

Sobrevivendo na África
Chegando a Tangier logo avistamos o mar e ficamos muito felizes pensando (só pensando) que poderíamos curtir umas horas de praia e relaxar, pois ainda era dia. Deixamos a bagagem no hotel e saímos à pé para procurarmos um lugar para comer. O que se passou foi impressionante!

Estávamos relativamente cobertas, mas parecia que estávamos nuas. Fomos absolutamente mal tratadas pelos homens nas ruas. Todos sem exceção, nos xingavam, faziam sinais obscenos, nos seguiam e tentavam nos tocar. Um horror! Passamos por oito cidades do Marrocos e nada chegou nem perto da hostilidade que nos deparamos por aqui. Pensei em pedir ajuda para um policial para que nos acompanhasse até o hotel, mas quando olhei pra ele, recebi um belo sinal pornográfico também! Conclui que estávamos ferradas naquele fim de mundo! Ali, mulher não sai na rua desacompanhada!

Foi uma pena tremenda, já que a praia era muito bela e o calor tremendo. Fomos pro quarto e lá ficamos até o dia seguinte, quando eu segui para Málaga na Espanha e depois pra Amsterdam

Chokran Marrocos!!

Amei esse país tão exótico… vou sentir saudades!

Onde Ficar

Hotel Beaurivage Essaouira (19 euros por dia)

14, Place Moulay Hassan


Arquivado em: Deuter, Outros Esportes, Viagem Tags: Outros Esportes, Viagem

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 1677 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.