19
  
     

Entenda o BASE Jump

 

Hoje com a popularização do BASE jump, fica cada vez mais fácil cruzar com imagens desses “saltadores”, seja na web, seja em festivais de filmes e até na televisão. No entanto, ainda há muito mistério e curiosidade sobre o esporte. Por isso, eu, Gustavo Azevedo (a.k.a. Sistemoto), fiz este breve relato na expectativa de apresentar o esporte e tirar algumas dúvidas.

 
BASE jump é um salto de paraquedas a partir de objetos fixos. A sigla B.A.S.E. representa as inicias, em Inglês, dos principais objetos utilizados para prática do esporte: B – Building (Prédio); A – Antenna (Antena); S – Span (Ponte); E – Earth (Montanha).

 

 

História
A origem do BASE jump é um assunto polêmico. Existem saltos bem sucedidos datados desde 1912, mas, o esporte moderno como o conhecemos nasceu em 1975 nas paredes do El Captain, no Parque Nacional de Yosemite (California). O termo BASE jump foi cunhado por Carl e Jean Boenish (BASE#4 e BASE#3) que juntamente com Phil Smith (BASE#1) e Phil Mayfield (BASE#2) são considerados os pais do esporte. Nessa época Carl, Jean, Smith e Mayfield modificavam e saltavam com os paraquedas utilizados para saltos convencionais (a partir de aeronaves). Em 1981, Carl Boenish começou a expedir números para os BASE jumpers que completassem pelo menos 1 salto de cada objeto na sigla (os chamados BASE #numbers). Estes números continuam a ser expedidos até os dias de hoje para BASE jumpers em todo o mundo, o que permitiu que 28 anos após o salto de Phil Smith (BASE#1) em Houston (Texas – US), eu pudesse me tornar BASE#1318, aqui no Rio de Janeiro.

 
Saltar a noite é uma técnica importante no BASE
Foto: André Sementile

Diferenças entre Skydive e BASE
Na maioria dos casos os BASE jumpers também saltam de avião, pois este é considerado o caminho mais natural para ingressar no esporte, dado o grande número de similaridades. No entanto, as diferenças que existem são bem grandes, sendo a principal delas a altura. Nos saltos de avião, um atleta costuma iniciar sua queda em torno de 3500 metros do solo, abrindo seu velame principal (parte de tecido do paraquedas que sustenta o paraquedista) por volta de uns1000 metros de altura. Isso é traduzido para aproximadamente 45 segundos de queda-livre. Ao abrir o seu velame, um paraquedista mediano leva em torno de 3 minutos para chegar ao solo (podendo variar em função de seu peso e tamanho do velame). Já os saltos de BASE jumppodem ser feitos (com segurança) a partir dos 60 metros de altura, dadas boas condições para o pouso logo abaixo do objeto. Para dar um exemplo dessa diferença, em um BASE de aproximadamente 100 metros de altura o BASE jumper leva em torno de 15 segundos desde a saída do objeto até o pouso, com seu velame em perfeitas condições. Isso faz com que os tempos de reação de ambos os tipos de paraquedistas sejam bem diferentes.

O equipamento de skydive (saltos de avião) é composto por 1 container (“mochila” onde o velame fica dobrado durante a queda livre) e 2 velames (1 principal e 1 reserva). No BASE jump o equipamento é composto apenas por 1 container e 1 velame, dado que na maioria dos saltos não haveria tempo para o uso de um segundo velame. Sendo assim, é necessário um conhecimento razoável sobre o equipamento para fazer os diferentes tipos de “set-up”, para os diferentes tipos de objetos. Atualmente existem algumas fábricas de equipamentos específicos para BASE, não sendo mais necessário modificar os de skydive. Estes são desenvolvidos para as necessidades do BASE (aberturas rápidas, centralizadas e confiáveis), que foram apuradas ao longo da evolução do esporte, tornando sua prática cada vez mais segura.

 

Salto HandHeld (com o PilotChute na mão), treinamento para aberturas mais rápidas
Foto: André Sementile

BASE no Brasil
BASE jump é um esporte muito novo no Brasil e ainda com poucos praticantes. Apesar de existirem BASE jumpers brasileiros há mais de 15 anos, arrisco dizer que foi apenas há 4 anos que o mesmo começou a se popularizar no Brasil. Hoje temos cerca de 40 praticantes ativos. No entanto, o Brasil é um país com enorme potencial para a prática do esporte. Temos alguns prédios altos, boas antenas de 90 – 100 metros e muitas pontes das antigas ferrovias, mas sem dúvida, nossos melhores saltos são os de montanha. Lugares como a Pedra do Baú em SP, Pedra do Fritz em MG, Morro do Pai Inácio na BA e Corcovado no RJ começam a colocar o Brasil no mapa mundial do BASE Jump. Eu posso me orgulhar em dizer que aprendi o BASE jump e completei minhas 4 letras no Brasil, sendo duas delas no Rio de Janeiro (B e E). Mas chega de papo, o vídeo abaixo é uma compilação do meu primeiro salto de cada objeto das letras da sigla! 
 

Para saber mais sobre BASE jump comece pelos artigos listados abaixo e mantenha-se antenado para um próximo post, aqui no Adventure Zone!

 

Getting into BASE

http://www.basejumper.com/Articles/Getting_Into_BASE/Getting_into_BASE_8.html


 

Number Of Skydives

http://www.basejumper.com/Articles/Getting_Into_BASE/Number_of_Skydives_806.html


 

Base Numbers Org

http://www.basenumbers.org/


 

History Of BASE


Por Gustavo Britto
Arquivado em: BaseJump e Wingsuit, Deuter, Outros Esportes Tags: base jump, gustavo britto, Outros Esportes

19 Comentários em "Entenda o BASE Jump"

  1. Fernando Machado disse:

    Prezados,

    gostaria de iniciar a pratica do base jump,moro no RJ e gostaria de saber se existe alguma escola ou exigencias para me tornar um praticante.
    [email protected]
    obrigado

  2. Gustavo Britto disse:

    Fernando,

    aqui no Brasil contamos com apenas um curso de BASE jump, oferecido pelo André Sementile ([email protected] ou http://www.seeya.com.br). No entanto, alerto que o mesmo é voltado para paraquedistas com experiência intermediária.

    um Abraço,

  3. JOSAFA ADOLFO disse:

    caras vcs são doidos varridos. ta louco meu!
    nunca faço isso.
    admiro vcs.
    legal,boa sorte.

  4. Doido, sim, por pedra, por prédio, antena, ponte e outras “cositas mas” 😀

    Obrigado Josafa 😀

  5. Everton disse:

    A vida que eu sempre sonhei! Obrigado pelas informações.

  6. Legal Everton,

    Que bom que o material foi útil! 😀

  7. italo campos disse:

    eu amo esse esporte mas vou completar 18 ano para fazer o curso aff

  8. Italo,

    Caso seus pais lhe permitam, não é necessário completar 18 anos para fazer o curso AFF.

    Cultive essa paixão, pois ela é o que nos move!

    Abs,

    Gustavo Britto

  9. Biah disse:

    Olá, nossa esse esporte é incrível. Estou fazendo um trabalho escolar sobre ele e me apaixonei, mas não sei se teria coragem de fazer.Mas parabéns a todos os Jumpers, e á você Gustavo Britto pelo excelente material postado.
    Beijos

  10. Legal Biah,

    fico contente que vc tenha curtido! Se precisar de mais infos para o seu trabalho fique a vontade para me mandar emails ou outras mensagens!

    😀

  11. MARIO DENICOLI disse:

    COISA DE LOUCO… MEU OBJETIVO É ESSE, MAS AINDA TENHO QUE FAZER O CURSO DA AFF… LOGO ESTAREI AI… ABRAÇOS.

  12. Legal Mario,

    Se precisar de algumas dicas do AFF basta me mandar uma msg.

    abs,

  13. Felipe disse:

    Oque é AFF q vcs tão falando ai nos comentários?

  14. Olá Felipe,

    AFF é um dos tipos de curso de pára-quedismo. A sigla significa Acelerated Free Fall. Nesse curso, o aluno já faz queda livre desde o primeiro salto, porém assistido por dois instrutores (um de cada lado para garantir uma posição estável em queda).

    Obrigado pela pergunta, qualquer outra dúvida é só mandar

    😀

  15. Gabriel disse:

    olá, me chamo Gabriel, tenho 13 anos de idade (vou fazer 14 em maio deste ano) e moro no Rio Grande do Sul, eu gostaria de saber qual é a idade miníma para eu aderir a pratica do base jump. Recentemente tenho demonstrado um grande interesse por este esporte e gostaria de saber se com 14 anos de idade poderia praticar base jump ou wingsuit no Brasil ou nos Estados Unidos da America. Aguardo a sua resposta.

  16. Olá Gabriel,

    Muito legal saber que você tem interesse no BASE jump. Bom, como você leu no artigo o BASE jump não tem nenhuma regulamentação específica. Porém, como vc também leu, a maioria dos BASE jumpers tem experiência prévia como paraquedistas convencionais, saltando de avião. Este é considerado o caminho mais natural (e talvez mais seguro) para ingressar e ter uma longa vivência no BASE. Com 14 anos você já pode fazer o seu curso AFF (http://www.skydiverio.com.br/aff1.htm), desde de que tenha a autorização dos seus pais. Sendo assim, recomendo que você converse com seus pais e peça para que eles procurem a área de salto mais próxima de sua casa para fazer o seu Curso AFF. Depois que você se formar e tiver realizado 50 saltos, entre em contato com Rodrigo ([email protected]) ele é instrutor de BASE e vai guiar o final da sua evolução do skydive para te preparar para o curso de BASE.

    Quanto a fazer o curso no Brasil ou nos EUA, as restrições legais seriam as mesmas, bastaria você ver a sua disponibilidade de tempo e dinheiro. Nesse decisão, leve em consideração que esse processo para se tornar um BASE jumper levará ao menos 6 meses (muito possivelmente muito mais).

    Quanto ao Wingsuit, vc deverá primeiro ser um Skydiver com 150 saltos para começar a fazer um curso para saltar de wingsuit de avião. Depois que vc estiver com bastante experiência saltando de wing de avião e saltando de BASE sem wing, você poderá buscar uma montanha bem alta (Exemplo Monte Brento na Itália) para fazer o seu primeiro WingBASE com a orientação de algum outro WingBASE jumper mais experiente.

    Para mais infos sobre como começar no wingBASE leia (http://www.adventurezone.com.br/blog/treinando-para-o-wingbase-balao-e-trike) e (http://www.adventurezone.com.br/blog/wingbase-europa-2010-italia)

    Qualquer outra dúvida, basta me escrever.

    Um grande Abraço

  17. kaique disse:

    Ola amigo venho a alguns meses assistindo videos de base jumping ,wingsuit, técnicas de pilotagem de velame , soh que não consigo um contato de algum mentor ou instrutor aqui em minas gerais . e locais para compra de equipo , não possuo nenhum salto tampouco nunca usei um paraquedas mais já quero ir direto pro base . e gostaria de um mentor pra poder me orientar de perto ,poderia me indicar aqui em minas … BH ou região

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2019 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.