0
  
     

Conduta consciente em ambientes naturais

É engraçado mas quando falamos de “conduta consciente” as pessoas pensam logo na questão do lixo e outros danos ao ambiente, na verdade essa é a essência do pensamento, porém existem outros pontos relevantes que fazem parte dessa prática, eu estou falando de respeito com os outros e segurança – itens que estão em falta em alguns lugares, infelizmente! Sim, muitos lugares tem recebido grupos enormes para caminhadas, pessoas que gritam, ouvem música sem fones de ouvido e mais algumas “atrocidades”. As pessoas tem que entender que o ambiente outdoor – ainda mais no caso de uma UC (unidade de conservação) – é um local onde existe fauna, onde outras pessoas vão para relaxar, para se conectar com a natureza e não para ouvir bate boca, música alta ou gritarias… Sim isso faz parte do que veremos aqui hoje, e conduta consciente é muito mais do que trazer o lixo de volta!

Boas práticas ao fazer trilhas e acampar

Eu vou listar os assuntos de forma dinâmica para o texto não se alongar demais, então vamos lá!

1. Você é responsável pela sua segurança!

– Salvamento em ambientes naturais é, em muitos casos, caro e complicado, além de pôr a vida da equipe de resgate em perigo também, sendo assim evite riscos desnecessários! Montanhas, rios e afins não são locais para “brincadeirinhas sem noção” – pense bem antes de fazer alguma palhaçada!

– Saiba quanto tempo sua trip vai durar! Planejamento prévio é fundamental. Tenha um roteiro, avise as pessoas sobre o caminho planejado, tenha celulares ou rádios de comunicação e sempre avise ao pessoal do parque (se for o caso) qual é o seu destino final, o caminho a ser percorrido e a previsão de chegada lá e retorno.

– Para evitar problemas saiba como se orientar e agir em situações de emergência! Saber usar (e ter) um mapa, bússola e ou GPS é fundamental para situações de emergência, tanto para sair do local quanto para acionar um possível resgate. Procure clubes de montanhismo, cursos, se informe na internet através de fontes confiáveis, estude e pratique orientação e primeiros socorros!

Use o equipamento certo! Muitas vezes improvisos ou economias bobas levam a acidentes. Nunca saia sem anorak, alimentos, água e purificador, kit de primeiros socorros, lanterna de cabeça e pilhas extras. Isso deve ser uma regra mesmo para as caminhadas curtas de algumas horas ou de um dia. Equipamentos existem para serem usados!

Não tem conhecimento da área ou experiência? Contrate um guia capacitado para lhe orientar quanto aos itens necessários e guia-lo durante o caminho!

– Não menos importante: conheça suas capacidades! Pessoas sedentárias ou com problemas cardíacos NÃO devem de maneira alguma se aventurar – mesmo com guias – em terrenos que exigem muito fisicamente. Alguns acidentes com vítimas fatais que aconteceram em 2012 vitimaram justamente pessoas com problemas desta natureza! Trekking pesado é uma coisa bem séria! Sair do sofá e partir para uma travessia pesada em montanha é pedir para arrumar um problema!

2. Cuide o ambiente – trilhas, fontes de água e locais de acampamento

Mantenha-se nas trilhas, não saia dos caminhos pré-determinados e não use atalhos! Em geral as trilhas em montanha seguem em zig-zag pelas encostas, isso tem um motivo bem simples: evitar erosão. As famosas “voçorocas” acontecem justamente em atalhos verticais que cortam a montanha em sentido vertical e facilitam a destruição do terreno pela ação da água! Outro fator importante para se manter nas trilhas é facilitar a ação de um possível resgate e até reduzir as chances de se perder!

Os locais de acampamento devem ser pré-definidos (coisa comum nos parques nacionais). E em caso de necessidade (leia: emergência) ao acampar fora de uma área pré definida NUNCA remova vegetação ou rochas. Busque clareiras naturais no terreno. Mantenha-se longe pelo menos 60m de qualquer fonte de água!

Não cave valas ao redor das barracas – isso cria pontos de erosão no futuro. Para evitar que sua barraca seja alagada basta escolher um local plano, longe de terrenos inclinados ou veios naturais de água. Escolha um ponto onde a água não usará o caminho como veio para escorrer e onde não existe a possibilidade de que a sua barraca fique no meio de uma poça!

Ao sair de uma área de camping leve todo o seu lixo e certifique-se de que não foram deixadas marcas da sua presença ali! A ideia é parecer que nunca você passou ou acampou por ali. Não deixe rastros!

Não construa nada, não corte madeira – mesmo que de árvores secas e caídas – já que elas podem servir como “casa” para animais ou para itens da flora local. Vale a quela velha frase: tire apenas fotografias, leve somente as boas lembranças e deixe apenas suas pegadas!

3. Traga seu lixo de volta!

– Hoje em dia nós temos sacos estanque próprios para transportar lixo, e mesmo que você não tenha um nada impede de levar sacos de lixo biodegradáveis, juntar e trazer dodo seu lixo de volta. Uma dica boa é fazer com que cada um cuide do seu lixo, assim ninguém tem que carregar um saco enorme de lixo, cada um carrega a sua porção!

Não queime ou enterre o seu lixo, mesmo se ele for orgânico!

Use as instalações sanitárias existentes! Se não houver nenhuma na área onde você está fala um buraco de 15cm de profundidade longe de qualquer fonte de água, trilha ou loocal de acampamento – pelo memos 60m de distância. Traga de volta o papel higiênico usado!

4. Não faça FOGUEIRAS!

Só existe uma justificativa para acender uma fogueira: uma situação de emergência onde você não tem como se aquecer ou mesmo aquecer alimentos. Ainda assim as fogueiras devem ser acendidas longe da vegetação, em um ambiente controlado e não deve ser grandes! Lembre-se que fogueiras são consideradas crime em Parques Nacionais e UCs.

Em uma situação normal de camping use um fogareiro para cozinhar e lanternas ou lampiões para iluminar o local. O custo destes itens atualmente é muito baixo.

– Se foi necessário fazer uso emergencial de uma fogueira tenha total certeza de que ela está completamente apagada ao abandonar a área e limpe a sujeira!

5. Respeite os animais, a flora e os outros!!

Aqui entram aquelas coisas que eu falei lá no primeiro parágrafo deste artigo…

Não remova plantas ou flores!

Não alimente ou se aproxime demais dos animais, lembre-se que são animais que vivem livres e que irão atacar se se sentirem acoados, até mesmo aquele quati bonitinho e fofo morde! Quanto a questão de alimentar os animais, ao fazer isso eles passam a buscar outras fontes de alimento que não são as naturais da espécie, mas sim aquelas fornecidas pelos visitantes. Isso afeta a vida do animal e pode causar danos inclusive aos bens dos visitantes, já que em muitos lugares os quatis rasgam e invadem barracas em busca de comida, já que eles se acostumaram com a nossa comida!

Evite gritarias e música alta nas trilhas, points de escalada e locais de camping, isso além de não incomodar os outros aumenta as possibilidades de observação de animais no ambiente. Além é claro de não stressar os próprios animais!

Respeite e seja cortês com outros aventureiros e moradores da área, não leve seus animais domésticos para passear e se passar por dentro da propriedade de alguém lembre-se de fechar porteiras e cancelas!

Basicamente é isso! Tenham consciência, respeito e divirtam-se! Boas trips e bons ventos!

Arquivado em: Dicas, Educação Ambiental, Minimo Impacto Tags: atividades outdoor, Conduta consciente, educação ambiental, Minimo Impacto

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2019 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.