0
  
     

Enfermidades Relacionadas ao Calor e ao Balanço de Fluidos

O verão chegou! E com ele, muitos problemas. Infelizmente, nesta época do ano, com o aumento da temperatura, muitas pessoas praticantes de esportes extenuantes como sofrem de enfermidades relacionadas ao calor e ao balanço corporal de fluidos.

Balanço de Fluidos

Grande parte de nosso organismo é composta por água, que se encontra em diversos fluidos corporais. Todos estes fluidos estão em balanço. A perda de fluido de qualquer fonte é refletida nos níveis de todos os outros fluidos corporais. Por exemplo, sudorese profusa vai resultar em uma diminuição do volume de sangue. Se uma vítima perde muito fluido, por qualquer meio – por hemorragia, suando, vomitando ou por diarréia – o resultado final é o mesmo: desidratação e, potencialmente, choque hipovolêmico.

Se uma pessoa está perdendo fluidos (por diarréia ou vomitando), então você está com uma verdadeira emergência nas mãos. Trate a causa da perda de fluidos da melhor maneira possível e hidrate a vítima. Evacue-a o mais rápido possível.

Prevenir a desidratação é muito mais fácil do que tratá-la. Portanto, é importante que todos os membros de seu grupo bebam água regularmente, na quantidade adequada, para repor a perda de fluidos.  O corpo absorve líquidos melhor  quando bebemos pequenas quantidades e com freqüência, do que quando bebemos grandes quantidades de uma só vez. Comer enquanto bebemos também ajuda na absorção. Se não tivermos comida, colocar uma pitada de sal e de açúcar também ajuda.

Não espere ficar com sede para beber água. Ficamos com sede quando já estamos com uma grande perda de fluidos corporais. O melhor indicador do nível de fluidos é a cor e quantidade de urina. Quanto mais urina e quanto mais clara for sua coloração, melhor. Isto indica que o corpo está com o nível de fluidos elevado. Porém, urina escura indica que o corpo está com baixa quantidade de água, e está tentando conservar o pouco que tem. Isto faz com que a urina fique mais concentrada, portanto, mais escura.

Recomendação de Ingestão de Fluidos

Estação do Ano

Litros/Dia

Explicação

Primavera & Outono*

1,8 – 2,8

Isto é o que uma pessoa, em média, precisará para suprir suas necessidades em um dia, em condições gerais de temperatura.
Verão e Tempo Quente*

2,8 – 3,7

Em tempo quente e úmido, perdemos mais fluidos através do suor, que deve ser reposto.
Inverno e Tempo Frio*

2,8 – 3,7

No inverno, perdemos água através de evaporação para o ar seco e, principalmente, através da respiração. O ar seco que entra nos pulmões é aquecido é exalado saturado de umidade.
*Todas as Estações

Adicionar 1,8 litros

Em altitudes elevadas o corpo perde mais fluidos. Aumente a ingestão de fluidos se você estiver acima de 2.400 metros.

Fluidos & Sais:

Um outro fator no balanço global de fluidos  é a reposição de sais perdidos na transpiração. Na maioria dos casos, o sal encontrado nos alimentos é suficiente. Nos casos de desidratação severa, uma solução de ½ colher de chá de sal e ½ colher de chá de bicarbonato de sódio para 900 mililitros de água pode ser usada para reposição de sais. Use líquidos mornos. Pare de ministrar se a pessoa ficar nauseada ou vomitar. Continue a ministrar líquidos assim que a vítima tolerar.

Termoregulação

O corpo possui uma série de mecanismos para manter a temperatura interna do corpo ótima (37 ºC). Acima de 40 ºC, muitas enzimas começam a se desnaturar e as reações químicas deixam de acontecer, levando o indivíduo à mortes. Abaixo de 37 ºC as reações químicas ficam mais lentas, levando a várias complicações, que também podem levar à morte.

Como o Corpo Regula a Temperatura Interna:

  • Vasodilatação – aumenta o fluxo de sangue na superfície, que aumenta a perda de calor (quando a temperatura ambiente é inferior à temperatura corporal);
  • Vasoconstricção – diminui o fluxo sangüíneo periférico, diminuindo a perda de calor;
  • Suor – diminui a temperatura corporal através da evaporação;
  • Tremor – gera calor através do aumento de reações químicas requeridas em atividades musculares. Tremores visíveis podem aumentar a produção de calor superficial em até 500 %. Porém, este mecanismo é limitado em apenas poucas horas por causa da diminuição de glicose nos músculos e por causa da fadiga;
  • Aumento/Diminuição de Atividade – irão aumentar/diminuir a produção de calor;
  • Respostas Comportamentais – colocar ou tirar camadas de roupa irão resultar em termoregulação.

Perda de Calor

Sempre que estamos em um ambiente cuja temperatura é inferior à do nosso corpo, estamos expostos  a uma Perda de Calor. Enquanto os níveis de Produção de Calor e Retenção de Calor forem maiores do que a Perda de Calor, o organismo estará se termoregulando de forma adequada. Porém, se o frio for maior do que a Produção e Retenção de calor juntas, estaremos suscetíveis a problemas provocados pelo frio, como a hipotermia e o congelamento.

Perda de Calor – (fatores negativos)

  • Temperatura
  • Corpo molhado (chuva, transpiração, água)
  • Vento

Retenção de Calor – (fatores positivos)

  • Forma e tamanho do corpo – a relação superfície / volume afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Isolamento – tipos e camadas de roupas;
  • Gordura Corporal – quantidade de gordura também afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Vasoconstricção/Vasodilatação –  aumenta/diminui a quantidade de sangue na superfície do corpo, aumentando/diminuindo a perda de calor.

Produção de Calor – (fatores positivos)

  • Exercícios
  • Tremores

Retenção de Calor

+

Produção

de Calor

<

Perda de Calor

=

Enfermidades provocadas pelo Frio

Forma e tamanho do corpo

Isolamento

Gordura corporal

Vasoconstricção/Vasodilatação

Exercícios

Tremores

Temperatura

Corpo molhado

Ventos

Hipotermia

Congelamento

Ganho de Calor

Em clima quente, especialmente com umidade elevada, podemos perder uma grande quantidade de fluidos através de exercícios. Isto pode levar a uma variedade de enfermidades provocadas pelo calor, como Exaustão por Calor e Golpe de Calor. O ganho de Calor é uma combinação de alguns fatores externos. Em balanço com o Ganho de Calor estão os mecanismos do organismo de Perda de Calor (mecanismos passivos e ativos) . Quando o Ganho de Calor é maior do que a Perda de Calor, passamos a estar suscetíveis a enfermidades relacionadas ao calor. Para reduzir o risco, devemos diminuir o Ganho de Calor ou aumentar a Perda de Calor.

Ganho de Calor – (fatores negativos)

  • Temperatura
  • Corpo molhado (chuva, transpiração, água)
  • Vento
  • Exercícios
  • Umidade

Perda Passiva de Calor – (fatores positivos)

  • Forma e tamanho do corpo – a relação superfície / volume afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Isolamento – tipos e camadas de roupas;
  • Gordura Corporal – quantidade de gordura também afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Vasoconstricção/Vasodilatação –  aumenta/diminui a quantidade de sangue na superfície do corpo, aumentando/diminuindo a perda de calor.

Perda Ativa de Calor  – (fatores positivos)

  • Calor radiante do corpo
  • Transpiração, que causa perda de calor por evaporação. Quantidade de suor é limitada por:

Nível de Fluidos;

Nível de Condicionamento Físico.

Perda Passiva

de Calor

+

Perda Ativa

de Calor

<

Ganho de Calor

=

Enfermidades provocadas pelo Calor

Forma e tamanho do corpo

Isolamento

Gordura corporal

Vasoconstricção/Vasodilatação

Calor radiante

Transpiração

Temperatura

Exercícios

Umidade

Corpo molhado

Vento

Sincope de calor

Exaustão do calor

Golpe de calor

Índice de Calor:

A temperatura ambiente não é o único fator que desempenha um papel em criar uma condição favorável para o aparecimento de enfermidades relacionadas ao calor. A umidade também é importante. Uma vez que o organismo conta com a evaporação do suor como um dos mecanismos principais de diminuição de temperatura, umidade relativa elevada reduz a habilidade do organismo de resfriar o corpo, aumentando o risco de uma enfermidade relacionada ao calor. O Índice de Calor mostra o efeito relativo da temperatura e da umidade.

ÍNDICE DE CALOR

Temperatura Ambiente (Cº)

21

24

27

29

32

35

38

41

43

46

49

Umidade

Relativa

Temperatura Aparente (Cº)

0%

18

20

23

26

28

31

33

35

37

39

42

10%

18

21

24

27

29

33

35

38

41

44

47

20%

19

22

25

28

30

33

37

41

44

49

54

30%

19

23

26

29

33

36

40

45

51

57

64

40%

20

23

26

30

34

38

43

56

58

66

50%

20

24

27

31

36

42

49

57

66

60%

21

24

28

33

38

46

56

65

70%

21

25

29

35

41

51

62

80%

22

26

30

36

45

58

90%

22

26

31

39

50

100%

22

27

33

42

Temperatura Aparente (Cº) Risco de estresse térmico com atividade física e/ou exposição prolongada.
32 – 40 Cãibras de Calor ou Exaustão por Calor.
31 – 54 Cãibras de Calor ou Exaustão por Calor. Possível Golpe de Calor.
Acima de 54 Golpe de Calor.
Atenção: Esta tabela indica, em linhas gerais, a severidade potencial do estresse térmico. As reações individuais ao calor irão variar. Enfermidades relacionadas ao calor podem ocorrer a temperaturas inferiores às indicadas. Exposição total ao sol podem aumentar estes valores em até 9 ºC.

Enfermidades Relacionadas ao Calor

Estas enfermidades são o resultado da temperatura corporal elevada, devido a uma inabilidade de dissipar o calor corporal e/ou uma diminuição do nível de fluidos. Lembre-se sempre que uma enfermidade moderada, se não for tratada corretamente, pode se transformar em uma enfermidade severa com risco de vida.

Cãibras de Calor

Cãibras de Calor são uma forma de cãibra muscular provocadas por esforço e pela baixa concentração de sais. Ocorrem espasmos musculares, seguindo-se uma redução de cloreto de sódio no sangue, de modo a atingir concentrações inferiores a um certo nível crítico. A alta perda de cloreto é facilitada pela sudorese profusa e pela falta de aclimatização.

Tratamento das Cãibras de Calor

Reponha sais e fluidos e alongue a musculatura. Treinamento apropriado e uma correta hidratação e alimentação irão ajudar a prevenir as Cãibras de Calor.

Síncope de Calor

A Síncope de Calor (desmaio) é uma forma moderada de enfermidade relacionada ao calor, que resulta do exercício físico em um ambiente quente. No esforço para aumentar a Perda de Calor, os vasos sangüíneos periféricos dilatam de tal maneira que o fluxo de sangue para o cérebro diminui, resultando em sintomas de desmaio, tontura, dor de cabeça, taquicardia, inquietude, náusea e vômito, podendo levar à inconsciência. Reposição inadequada de fluidos (que leva a uma desidratação) contribui de forma significativa para este problema.

Tratamento da Síncope de Calor

A Síncope de Calor deve ser tratada como um desmaio. A vítima deve permanecer deitada ou sentada, de preferência, na sombra ou em local fresco. Os pés devem ser elevados e a vitima deve ser hidratada com fluidos de hidratação (que contenham sais). A vítima não deve fazer atividade física, pelo menos até o fim do dia.

Exaustão do Calor

Ocorre quando a perda de fluidos  por transpiração e respiração é maior do que a reserva interna de líquidos. (diminuição de volume). A Exaustão do Calor é uma forma de choque hipovolêmico. A falta de fluidos faz com que o organismo promova uma vasoconstricção periférica (dos braços e pernas, principalmente). Uma baixa pressão arterial é o evento crítico resultante, devido, em parte, a uma inadequada saída de sangue do coração e, em parte, a uma vasodilatação que abrange uma extensa área do corpo. Os sintomas da Exaustão do Calor são:

  • Sudorese
  • Pele – Pálida e mole (devido à vasoconstricção periférica)
  • Pulso – Acelerado
  • Respiração – Acelerada
  • Temperatura – normal ou ligeiramente elevada
  • Eliminação de Urina – Diminuída
  • A vítima sente-se fraca, tonta, com sede e ansiosa.
  • Náusea e vômitos (devido ao decréscimo de circulação no estômago)

Tratamento da Exaustão do Calor

A vítima deve ser hidratada e deve ser muito cuidadosa ao reiniciar a atividade física (é melhor consultar um médico antes). O tratamento é o mesmo utilizado na Síncope de Calor, mas deve-se ser mais cauteloso quanto a voltar aos exercícios. O organismo precisa de algum tempo para se restabelecer. Os pés devem ser elevados e a vitima deve ser hidratada com fluidos de hidratação (que contenham sais). A vítima deve beber lentamente, pois beber rápido, ou em grande quantidade, pode causar náuseas e vômito. A Exaustão por Calor pode se tornar um Golpe de Calor, se não for tratada corretamente. A vítima de Exaustão do Calor devem ser monitoradas de perto para termos certeza de que a temperatura do corpo não ultrapasse os 39 ºC. Caso isto ocorra, tratar a vítima como Golpe de Calor.

Golpe de Calor – Hipertermia

O Golpe de Calor é uma das poucas ameaças à vida em enfermidades relacionadas ao calor. A vítima pode morrer em questão de minutos se não for tratada de forma adequada. A Hipertermia ocorre quando a temperatura do núcleo do corpo é tal, que põe em risco algum tecido vital que permanece em contínuo funcionamento. Temperatura interna acima de 41 ºC pode levar à morte. Esta enfermidade se dá por um distúrbio no mecanismo termoregulador, que fica impossibilitado de manter um equilíbrio térmico adequado entre o indivíduo e o meio.

Existem dois tipos de Golpe de Calor – por diminuição de fluidos (início lento) e com o nível de fluido intacto (início rápido).

  • Nível de Fluido Diminuído (início lento) – A vítima apresenta Exaustão do Calor devido à perda de fluidos por transpiração e/ou inadequada reposição de fluidos, mas continua a “funcionar” em uma situação de Ganho de Calor. Finalmente, a falta de fluidos minimiza a capacidade de perda ativa de calor do organismo a um nível que a temperatura do núcleo do corpo começa a se elevar. Exemplo: Escalar em um dia quente com pouca água.
  • Nível Fluido Intacto (início rápido) – A vítima está sob uma situação extrema de Ganho de Calor. O Ganho de Calor ultrapassa o mecanismo de perda ativa de calor do organismo, mesmo com um nível de fluidos suficiente. Exemplo: Escalada longa em um dia com temperatura acima de 40 °C.

Sintomas do Golpe de Calor

  • A chave para indicar o Golpe de Calor é a pele quente. Algumas vítimas podem apresentar pele quente e seca, outras, pele úmida e quente. Isto porque a vítima pode Ter acabado de passar de uma Exaustão do Calor para uma Hipertermia.
  • Vasoconstricção periférica (a pele fica pálida)
  • Pulso – aumentado
  • Respiração – aumentada
  • Nível Urina – diminuído
  • Temperatura – aumentada (pode estar acima de 41 °C)
  • Pele – seca ou úmida
  • AVDI (Alerta, Verbal, Dor, Inconsciência) – Mudanças severas no estado mental e motor/sensorial
  • Pupilas – podem estar dilatadas e não responderem à luz

Tratamento do Golpe de Calor

  • A temperatura do corpo deve ser abaixada imediatamente! Mova a vítima para a sombra ou para um local mais fresco. Remova o excesso de roupas. Derrame água nas extremidades e abane a pessoa, para aumentar a circulação de ar e a evaporação. Se possível, coloque a vítima em água fresca (Gelada NÃO). Massageie vigorosamente as extremidades que estão sendo refrescadas, para que o sangue resfriado possa voltar para o núcleo do corpo.
  • Após a temperatura ser reduzida a 39 ºC, diminua o resfriamento ativo, para evitar hipotermia (tremores produzem mais calor). A vítima deve ser monitorada para evitar que a temperatura suba de novo.
  • Reposição de fluidos – a vítima irá precisar de fluidos, independente do tipo de início da Hipertermia.
  • Ressuscitarão Cardio-Pulmonar se necessário.
  • A vítima pode apresentar várias complicações sérias. Prepare-se para evacuar a vítima.

Balanço de Fluidos

Grande parte de nosso organismo é composta por água, que se encontra em diversos fluidos corporais. Todos estes fluidos estão em balanço. A perda de fluido de qualquer fonte é refletida nos níveis de todos os outros fluidos corporais. Por exemplo, sudorese profusa vai resultar em uma diminuição do volume de sangue. Se uma vítima perde muito fluido, por qualquer meio – por hemorragia, suando, vomitando ou por diarréia – o resultado final é o mesmo: desidratação e, potencialmente, choque hipovolêmico.

Se uma pessoa está perdendo fluidos (por diarréia ou vomitando), então você está com uma verdadeira emergência nas mãos. Trate a causa da perda de fluidos da melhor maneira possível e hidrate a vítima. Evacue-a o mais rápido possível.

Prevenir a desidratação é muito mais fácil do que tratá-la. Portanto, é importante que todos os membros de seu grupo bebam água regularmente, na quantidade adequada, para repor a perda de fluidos.  O corpo absorve líquidos melhor  quando bebemos pequenas quantidades e com freqüência, do que quando bebemos grandes quantidades de uma só vez. Comer enquanto bebemos também ajuda na absorção. Se não tivermos comida, colocar uma pitada de sal e de açúcar também ajuda.

Não espere ficar com sede para beber água. Ficamos com sede quando já estamos com uma grande perda de fluidos corporais. O melhor indicador do nível de fluidos é a cor e quantidade de urina. Quanto mais urina e quanto mais clara for sua coloração, melhor. Isto indica que o corpo está com o nível de fluidos elevado. Porém, urina escura indica que o corpo está com baixa quantidade de água, e está tentando conservar o pouco que tem. Isto faz com que a urina fique mais concentrada, portanto, mais escura.

Recomendação de Ingestão de Fluidos

Estação do Ano

Litros/Dia

Explicação

Primavera & Outono*

1,8 – 2,8

Isto é o que uma pessoa, em média, precisará para suprir suas necessidades em um dia, em condições gerais de temperatura.
Verão e Tempo Quente*

2,8 – 3,7

Em tempo quente e úmido, perdemos mais fluidos através do suor, que deve ser reposto.
Inverno e Tempo Frio*

2,8 – 3,7

No inverno, perdemos água através de evaporação para o ar seco e, principalmente, através da respiração. O ar seco que entra nos pulmões é aquecido é exalado saturado de umidade.
*Todas as Estações

Adicionar 1,8 litros

Em altitudes elevadas o corpo perde mais fluidos. Aumente a ingestão de fluidos se você estiver acima de 2.400 metros.

Fluidos & Sais:

Um outro fator no balanço global de fluidos  é a reposição de sais perdidos na transpiração. Na maioria dos casos, o sal encontrado nos alimentos é suficiente. Nos casos de desidratação severa, uma solução de ½ colher de chá de sal e ½ colher de chá de bicarbonato de sódio para 900 mililitros de água pode ser usada para reposição de sais. Use líquidos mornos. Pare de ministrar se a pessoa ficar nauseada ou vomitar. Continue a ministrar líquidos assim que a vítima tolerar.

Termoregulação

O corpo possui uma série de mecanismos para manter a temperatura interna do corpo ótima (37 ºC). Acima de 40 ºC, muitas enzimas começam a se desnaturar e as reações químicas deixam de acontecer, levando o indivíduo à mortes. Abaixo de 37 ºC as reações químicas ficam mais lentas, levando a várias complicações, que também podem levar à morte.

Como o Corpo Regula a Temperatura Interna:

  • Vasodilatação – aumenta o fluxo de sangue na superfície, que aumenta a perda de calor (quando a temperatura ambiente é inferior à temperatura corporal);
  • Vasoconstricção – diminui o fluxo sangüíneo periférico, diminuindo a perda de calor;
  • Suor – diminui a temperatura corporal através da evaporação;
  • Tremor – gera calor através do aumento de reações químicas requeridas em atividades musculares. Tremores visíveis podem aumentar a produção de calor superficial em até 500 %. Porém, este mecanismo é limitado em apenas poucas horas por causa da diminuição de glicose nos músculos e por causa da fadiga;
  • Aumento/Diminuição de Atividade – irão aumentar/diminuir a produção de calor;
  • Respostas Comportamentais – colocar ou tirar camadas de roupa irão resultar em termoregulação.

Perda de Calor

Sempre que estamos em um ambiente cuja temperatura é inferior à do nosso corpo, estamos expostos  a uma Perda de Calor. Enquanto os níveis de Produção de Calor e Retenção de Calor forem maiores do que a Perda de Calor, o organismo estará se termoregulando de forma adequada. Porém, se o frio for maior do que a Produção e Retenção de calor juntas, estaremos suscetíveis a problemas provocados pelo frio, como a hipotermia e o congelamento.

Perda de Calor – (fatores negativos)

  • Temperatura
  • Corpo molhado (chuva, transpiração, água)
  • Vento

Retenção de Calor – (fatores positivos)

  • Forma e tamanho do corpo – a relação superfície / volume afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Isolamento – tipos e camadas de roupas;
  • Gordura Corporal – quantidade de gordura também afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Vasoconstricção/Vasodilatação –  aumenta/diminui a quantidade de sangue na superfície do corpo, aumentando/diminuindo a perda de calor.

Produção de Calor – (fatores positivos)

  • Exercícios
  • Tremores

Retenção de Calor

+

Produção

de Calor

<

Perda de Calor

=

Enfermidades provocadas pelo Frio

Forma e tamanho do corpo

Isolamento

Gordura corporal

Vasoconstricção/Vasodilatação

Exercícios

Tremores

Temperatura

Corpo molhado

Ventos

Hipotermia

Congelamento

Ganho de Calor

Em clima quente, especialmente com umidade elevada, podemos perder uma grande quantidade de fluidos através de exercícios. Isto pode levar a uma variedade de enfermidades provocadas pelo calor, como Exaustão por Calor e Golpe de Calor. O ganho de Calor é uma combinação de alguns fatores externos. Em balanço com o Ganho de Calor estão os mecanismos do organismo de Perda de Calor (mecanismos passivos e ativos) . Quando o Ganho de Calor é maior do que a Perda de Calor, passamos a estar suscetíveis a enfermidades relacionadas ao calor. Para reduzir o risco, devemos diminuir o Ganho de Calor ou aumentar a Perda de Calor.

Ganho de Calor – (fatores negativos)

  • Temperatura
  • Corpo molhado (chuva, transpiração, água)
  • Vento
  • Exercícios
  • Umidade

Perda Passiva de Calor – (fatores positivos)

  • Forma e tamanho do corpo – a relação superfície / volume afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Isolamento – tipos e camadas de roupas;
  • Gordura Corporal – quantidade de gordura também afeta em quão rápido o corpo perde calor;
  • Vasoconstricção/Vasodilatação –  aumenta/diminui a quantidade de sangue na superfície do corpo, aumentando/diminuindo a perda de calor.

Perda Ativa de Calor  – (fatores positivos)

  • Calor radiante do corpo
  • Transpiração, que causa perda de calor por evaporação. Quantidade de suor é limitada por:

Nível de Fluidos;

Nível de Condicionamento Físico.

Perda Passiva

de Calor

+

Perda Ativa

de Calor

<

Ganho de Calor

=

Enfermidades provocadas pelo Calor

Forma e tamanho do corpo

Isolamento

Gordura corporal

Vasoconstricção/Vasodilatação

Calor radiante

Transpiração

Temperatura

Exercícios

Umidade

Corpo molhado

Vento

Sincope de calor

Exaustão do calor

Golpe de calor

Índice de Calor:

A temperatura ambiente não é o único fator que desempenha um papel em criar uma condição favorável para o aparecimento de enfermidades relacionadas ao calor. A umidade também é importante. Uma vez que o organismo conta com a evaporação do suor como um dos mecanismos principais de diminuição de temperatura, umidade relativa elevada reduz a habilidade do organismo de resfriar o corpo, aumentando o risco de uma enfermidade relacionada ao calor. O Índice de Calor mostra o efeito relativo da temperatura e da umidade.

ÍNDICE DE CALOR

Temperatura Ambiente (Cº)

21

24

27

29

32

35

38

41

43

46

49

Umidade

Relativa

Temperatura Aparente (Cº)

0%

18

20

23

26

28

31

33

35

37

39

42

10%

18

21

24

27

29

33

35

38

41

44

47

20%

19

22

25

28

30

33

37

41

44

49

54

30%

19

23

26

29

33

36

40

45

51

57

64

40%

20

23

26

30

34

38

43

56

58

66

50%

20

24

27

31

36

42

49

57

66

60%

21

24

28

33

38

46

56

65

70%

21

25

29

35

41

51

62

80%

22

26

30

36

45

58

90%

22

26

31

39

50

100%

22

27

33

42

Temperatura Aparente (Cº) Risco de estresse térmico com atividade física e/ou exposição prolongada.
32 – 40 Cãibras de Calor ou Exaustão por Calor.
31 – 54 Cãibras de Calor ou Exaustão por Calor. Possível Golpe de Calor.
Acima de 54 Golpe de Calor.
Atenção: Esta tabela indica, em linhas gerais, a severidade potencial do estresse térmico. As reações individuais ao calor irão variar. Enfermidades relacionadas ao calor podem ocorrer a temperaturas inferiores às indicadas. Exposição total ao sol podem aumentar estes valores em até 9 ºC.

Enfermidades Relacionadas ao Calor

Estas enfermidades são o resultado da temperatura corporal elevada, devido a uma inabilidade de dissipar o calor corporal e/ou uma diminuição do nível de fluidos. Lembre-se sempre que uma enfermidade moderada, se não for tratada corretamente, pode se transformar em uma enfermidade severa com risco de vida.

Cãibras de Calor

Cãibras de Calor são uma forma de cãibra muscular provocadas por esforço e pela baixa concentração de sais. Ocorrem espasmos musculares, seguindo-se uma redução de cloreto de sódio no sangue, de modo a atingir concentrações inferiores a um certo nível crítico. A alta perda de cloreto é facilitada pela sudorese profusa e pela falta de aclimatização.

Tratamento das Cãibras de Calor

Reponha sais e fluidos e alongue a musculatura. Treinamento apropriado e uma correta hidratação e alimentação irão ajudar a prevenir as Cãibras de Calor.

Síncope de Calor

A Síncope de Calor (desmaio) é uma forma moderada de enfermidade relacionada ao calor, que resulta do exercício físico em um ambiente quente. No esforço para aumentar a Perda de Calor, os vasos sangüíneos periféricos dilatam de tal maneira que o fluxo de sangue para o cérebro diminui, resultando em sintomas de desmaio, tontura, dor de cabeça, taquicardia, inquietude, náusea e vômito, podendo levar à inconsciência. Reposição inadequada de fluidos (que leva a uma desidratação) contribui de forma significativa para este problema.

Tratamento da Síncope de Calor

A Síncope de Calor deve ser tratada como um desmaio. A vítima deve permanecer deitada ou sentada, de preferência, na sombra ou em local fresco. Os pés devem ser elevados e a vitima deve ser hidratada com fluidos de hidratação (que contenham sais). A vítima não deve fazer atividade física, pelo menos até o fim do dia.

Exaustão do Calor

Ocorre quando a perda de fluidos  por transpiração e respiração é maior do que a reserva interna de líquidos. (diminuição de volume). A Exaustão do Calor é uma forma de choque hipovolêmico. A falta de fluidos faz com que o organismo promova uma vasoconstricção periférica (dos braços e pernas, principalmente). Uma baixa pressão arterial é o evento crítico resultante, devido, em parte, a uma inadequada saída de sangue do coração e, em parte, a uma vasodilatação que abrange uma extensa área do corpo. Os sintomas da Exaustão do Calor são:

  • Sudorese
  • Pele – Pálida e mole (devido à vasoconstricção periférica)
  • Pulso – Acelerado
  • Respiração – Acelerada
  • Temperatura – normal ou ligeiramente elevada
  • Eliminação de Urina – Diminuída
  • A vítima sente-se fraca, tonta, com sede e ansiosa.
  • Náusea e vômitos (devido ao decréscimo de circulação no estômago)

Tratamento da Exaustão do Calor

A vítima deve ser hidratada e deve ser muito cuidadosa ao reiniciar a atividade física (é melhor consultar um médico antes). O tratamento é o mesmo utilizado na Síncope de Calor, mas deve-se ser mais cauteloso quanto a voltar aos exercícios. O organismo precisa de algum tempo para se restabelecer. Os pés devem ser elevados e a vitima deve ser hidratada com fluidos de hidratação (que contenham sais). A vítima deve beber lentamente, pois beber rápido, ou em grande quantidade, pode causar náuseas e vômito. A Exaustão por Calor pode se tornar um Golpe de Calor, se não for tratada corretamente. A vítima de Exaustão do Calor devem ser monitoradas de perto para termos certeza de que a temperatura do corpo não ultrapasse os 39 ºC. Caso isto ocorra, tratar a vítima como Golpe de Calor.

Golpe de Calor – Hipertermia

O Golpe de Calor é uma das poucas ameaças à vida em enfermidades relacionadas ao calor. A vítima pode morrer em questão de minutos se não for tratada de forma adequada. A Hipertermia ocorre quando a temperatura do núcleo do corpo é tal, que põe em risco algum tecido vital que permanece em contínuo funcionamento. Temperatura interna acima de 41 ºC pode levar à morte. Esta enfermidade se dá por um distúrbio no mecanismo termoregulador, que fica impossibilitado de manter um equilíbrio térmico adequado entre o indivíduo e o meio.

Existem dois tipos de Golpe de Calor – por diminuição de fluidos (início lento) e com o nível de fluido intacto (início rápido).

  • Nível de Fluido Diminuído (início lento) – A vítima apresenta Exaustão do Calor devido à perda de fluidos por transpiração e/ou inadequada reposição de fluidos, mas continua a “funcionar” em uma situação de Ganho de Calor. Finalmente, a falta de fluidos minimiza a capacidade de perda ativa de calor do organismo a um nível que a temperatura do núcleo do corpo começa a se elevar. Exemplo: Escalar em um dia quente com pouca água.
  • Nível Fluido Intacto (início rápido) – A vítima está sob uma situação extrema de Ganho de Calor. O Ganho de Calor ultrapassa o mecanismo de perda ativa de calor do organismo, mesmo com um nível de fluidos suficiente. Exemplo: Escalada longa em um dia com temperatura acima de 40 °C.

Sintomas do Golpe de Calor

  • A chave para indicar o Golpe de Calor é a pele quente. Algumas vítimas podem apresentar pele quente e seca, outras, pele úmida e quente. Isto porque a vítima pode Ter acabado de passar de uma Exaustão do Calor para uma Hipertermia.
  • Vasoconstricção periférica (a pele fica pálida)
  • Pulso – aumentado
  • Respiração – aumentada
  • Nível Urina – diminuído
  • Temperatura – aumentada (pode estar acima de 41 °C)
  • Pele – seca ou úmida
  • AVDI (Alerta, Verbal, Dor, Inconsciência) – Mudanças severas no estado mental e motor/sensorial
  • Pupilas – podem estar dilatadas e não responderem à luz

Tratamento do Golpe de Calor

  • A temperatura do corpo deve ser abaixada imediatamente! Mova a vítima para a sombra ou para um local mais fresco. Remova o excesso de roupas. Derrame água nas extremidades e abane a pessoa, para aumentar a circulação de ar e a evaporação. Se possível, coloque a vítima em água fresca (Gelada NÃO). Massageie vigorosamente as extremidades que estão sendo refrescadas, para que o sangue resfriado possa voltar para o núcleo do corpo.
  • Após a temperatura ser reduzida a 39 ºC, diminua o resfriamento ativo, para evitar hipotermia (tremores produzem mais calor). A vítima deve ser monitorada para evitar que a temperatura suba de novo.
  • Reposição de fluidos – a vítima irá precisar de fluidos, independente do tipo de início da Hipertermia.
  • Ressuscitarão Cardio-Pulmonar se necessário.
  • A vítima pode apresentar várias complicações sérias. Prepare-se para evacuar a vítima.
Arquivado em: Deuter, Primeiros Socorros Tags: Primeiros Socorros

Deixe o seu comentário!

Comentar!

© 2019 Adventure Zone. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válidos.
Design: Equipe Adventure Zone.